21/09/2007

O novo Estatuto dos Jornalistas

...
Infelizmente os OCS são, em grande parte, e nos últimos tempos, culpados do mal que lhes está a acontecer. Venderam a alma ao diabo em troca de notícias “fresquinhas”, dadas ainda antes de irem para debate ou de serem legisladas. Instituíram-se meros transmissores de vontades e poderes, ajudando a bater em quem nesse momento estava na mó de baixo e elogiando as grandes medidas que iam ser tomadas, sem tentarem ouvir o “contraditório” ou procurar informação que fundamentasse ou contrariasse as medidas em questão. Julgaram-se imprescindíveis por “comerem à mesa do Rei” e esqueceram-se de observar a realidade e perceber que tal como aos outros o tapete também lhes iria ser retirado de debaixo dos pés. A liberdade de expressão é uma das primeiras coisas a ser coarctada quando um regime ditatorial se começa a impor. Por isso fico, muito preocupada e apreensiva com a aprovação deste estatuto. Esta minha preocupação varia na razão inversa à alegria demonstrada pelos OCS relativamente à imposição no nosso estatuto e aos ataques feitos à nossa e a outras profissões, dos quais foram, simultaneamente, cúmplices e instigadores. Apesar disso, não me regozijo! Nem por eles terem que aprender à custa deles como se vive atado num molho de varas, nem pelo novo amordaçar da liberdade de expressão. (no Público de 21/09/07, Edição Impressa: “Estatuto do Jornalista volta a ser aprovado no Parlamento apenas pelo Partido Socialista”). É que depois de tudo aquilo a que temos vindo a assistir, este é, para mim, o princípio do fim de uma democracia que não soubemos assumir, nem construir. Aflige-me que continuemos, como diz Vieira da Silva “adormecidos no cais/entretidos com o medo/de já ser tarde demais//teimosamente morrendo/por detrás desta janela/a fingir que somos livres/com um cravo na lapela”. Aflige-me que cada vez mais nos viremos para o nosso umbigo, na esperança de salvar o pouco que temos, esquecendo-nos que a luta pelos nossos filhos e pelo seu futuro não passa apenas pelo “pão nosso de cada dia”. Aflige-me a ignorância de um povo que não aprendeu com a história o resultado da sua impassibilidade, da sua falta de espinha dorsal, da sua atitude de medo e subserviência, da sua postura de “alguém há-de ir à luta, que isto assim não pode ficar… eu é que não me meto nessa que se isto der para o torto, não estou para me lixar”.
O problema é que, como dizia Bretch, “agora levaram-me a mim e,/quando percebi, /já era tarde”.

...

6 comentários:

Bastonário disse...

Pois é... os intocáveis e imprescindíveis estão todos a fazer companhia uns aos outros no jardim das tabuletas. Na altura muito se falou que não iríam ser "tocados", pois um jornalista influente de uma cadeia de televisão é irmão do ex-Ministro e agora Presidente de Câmara António Costa (julgo não estar equivocado!). Esqueceram-se é que, controlar a informação é o primeiro degrau para o poder, quer como forma de impedir as que prejudicam como veicular as que beneficiam, ou até são inverdadeiras, para dizer no mínimo! O grande problema é que isto serve igualmente os outros, quando eles para lá forem. É uma base que será aplaudida em surdina por todos os quadrantes políticos, embora tenham tido que ser "oposição" na certeza de que passaria!

Maria Lisboa disse...

Serve isto e tudo o que o que têm feito em todas as outras profissões. Conseguiram fazer muito mais do que a direita algum dia sonharia ousar fazer. Quando voltarem ao governo têm a papinha feita. Nessa altura apenas lhes restará limar algumas arestas... e já ninguém se oporá porque a "coluna vertebral" já está completamente vergada.

E não, não te enganas. O tal jornalista é mesmo irmão do ex-ministro que também lava daí as suas mãos porque já não está dentro!!!

elsa nyny disse...

Olá!

Convido-te a escrever uma CARTA POR DARFUR!
http://eu-estou-aki.blogspot.com

bjts

elsa nyny disse...

Olá!

Convido-te a escrever uma CARTA POR DARFUR!
http://eu-estou-aki.blogspot.com

bjts

António Chaves Ferrão disse...

Maria Lisboa
A imprensa anda amordaçada há muito tempo. Jornalistas que fazem directos a cem euros/mês e recibo verde, aguentando horas no local que lhes é indicado, à espera da notícia que não chega a ser, são afinal jovens estudantes a quem esse dinheirinho faz falta. Esta realidade já estava implantada ao tempo de Santana Lopes. Mas como havia alguns profissionais capazes de criticar os eleitos (como se tal fosse reprovável), havia que brindá-los com um estatuto desinibidor.
Com estas medidas só conseguem atrofiar a imprensa - escrita, falada ou televisionada. Não conseguirão construir cidadãos acéfalos, pois outras formas de comunicação irão dar satisfação ao desejo irreprimível de informação. Talvez os blogs, talvez os sms, talvez soluções de que ainda ninguém se lembrou.

Jaime Toga disse...

Sou um intruso!
(não sou professor nem trabalhador da área da Comunicação Social)

Mas, culpar os OCS pelo mal que lhes está a acontecer... isso é que não!

O novo Estatuto dos Jornalistas reflecte acima de tudo a intenção do Governo relativamente à classe; depois, quando falamos dos OCS falamos de quem? [1] dos grupos económicos que os detêm? [2] dos directores que submetem a verdade jornalística aos interesses económicos? [3] dos jornalistas, na sua maioria precários, que cumprem ordens e fazem reportagens de acordo com as encomendas dos superiores, [4] dos jornalistas que, por serem honestos, estão nas prateleiras dos OCS ou no desemprego?