12/06/2008

Os fascistas

Os fascistas espalharam-se por todo o lado. Alguns até se espalharam pela esquerda - ou será que a esquerda se espalho pelo fascismo?

Os combustíveis estão cada vez mais caros. E no entanto, o preço do barril de petróleo está, em 2008, exactamente ao mesmo valor de 2000: 70 euros.

De um lado, estão fascistas totalitários que esmagam os povos com preços absolutamente especulativos. Do outro, estão camionistas anarquistas, que atacam à lei da pedra e da grunharia os colegas de trabalho que apenas querem, imagine-se, trabalhar. Como se o direito à greve implicasse o não-direito à não-greve.

Se abomino os fascistas de direita, não faço por menos o fascismo de esquerda. Esses trastes anarquistas que constituem piquetes de greve são, geralmente, escumalha nojenta de que a humanidade se envergonha. Na fábrica onde uma pessoa conhecida trabalhava, os piquetes de greve juntavam-se à porta para impedir, com base na força de paus e pedras, que alguém exercesse o direito a não fazer greve. Mas, vermes nojentos como são, esses anarquistas da merda nem percebem que são tão fascistas como os fascistas que eles próprios criticam.

Polícia de choque em cima deles, com força e sem cerimónia. Só se lamentam os que ficarem de pé.

Outros fascismos existem, mas na Escola.
Num determinado dia da semana, A. tem três horas de CNL marcadas no horário. Mas A. não as cumpre, tal como não cumpre todas as horas lectivas porque deixa os alunos sair mais cedo. Uma horita de cada vez. Só que A. é dono de meia aldeia. Funcionários e professores, noutros locais de trabalho, são seus assalariados. E certo familiar de A. é profissional de medicina, o que lhe permite atestar tudo e todos. Portanto, A. recebe tacitamente a conivência de toda a gente. E niguém se atreve, nem quer atrever, a colocar em causa as benesses de A.
É outra forma de fascismo: o fascismo dos acomodados do sistema que, não podendo em caso algum ser exonerados da função pública, dela vivem cegamente, como carraças agarradas ao corpo do animal.

Darwin estava errado. Nem sempre as espécies evoluem.

1 comentários:

Marreta disse...

Está em marcha a IV GRANDE FARRA BLOGOSFÉRICA! Inscreve-te! Contribui para o PIB e para o fomento da produção nacional! Junta-te à confraria do barril!
A bem da blogosfera,
Saudações do Marreta.