12/11/2005

O memorando do ME para os sindicatos, entregue na reunião de ontem, não pode ser mais claro: as colocações passam a ser plurianuais, os concursos são (para já) anuais, os horários com menos de 12 horas nem sequer vão a concurso e as cíclicas só duram até Outubro. Acabam os destacamentos, excepto por Condições Específicas. Os docentes ou qualquer outro funcionário com vínculo ao Ministério ficam também proibidos de promover manuais ou outros recursos didático-pedagógicos nos estabelecimentos de ensino.Em síntese: estamos entregues à bicharada.
A tristemente célebre Maria do Carmo Seabra, antecessora da não menos triste actual ministra, já tinha feito qualquer coisa de inaudito - e indizível: incapaz de fazer uma lista que começasse no número 1 e fosse por aí acima com os nomes dos professores, resolveu abandonar o barco em pleno alto-mar, permitindo as colocações a nível de escola. Algo muito semelhante à história dos ratos que abandonam o navio quando as coisas correm mal. Agora, este ME parece apostado em demonstrar que o pior é possível: prepara-se para instituir o Império do Tacho e, declaradamente, desenterrar o machado de guerra contra os professores.

Muito me espanta que alguns ainda me perguntem "vais fazer greve? Porquê?"

O bom senso não é a coisa mais bem distibuída do mundo.

2 comentários:

a-real disse...

A pergunta deve ser devolvida. Já o fiz e recebi a justificação deste status quo insuportável: não faço porque perco dinheiro!!! BURROS. Será que não percebem que perdem muito mais dinheiro com estas alterações? Não. A nossa classe demonstra as suas entranhas: gente sem inteligência. Por isso acho muito bem que nos espezinhem! Os qualificados fogem e depois recrutam professores a Angola tal como o Reino Unido o faz aqui em portugal... Já não falta muito.

Marco disse...

Vamos de mal a pior...