17/09/2005

Os Professores são uns totós?

Trabalhando 35 horas por semana, quanto ganha por cada uma dessas horas um contratado, devidamente profissionalizado, com formação superior numa qualquer área científica, no índice 151? Fiz as contas e cheguei à conclusão que cada uma dessas 35 horas lhe rende €6,50, mais cêntimo menos cêntimo.

Os indiferenciados que andaram a pintar a minha casa, para lá das cervejas, cobraram € 7,5 por cada hora de serviços prestados.

Só posso concluir que o ME considera que os Professores são uns totós e, nessa qualidade, lhes paga o que merecem.

Para quem acha que os QE do último escalão ganham muito, cá vai disto: com as novas medidas impostas pelo governo, um QE com um vencimento líquido de € 1600 ganha a fabulosa quantia de €11,10. "Fantástico", para quem está no topo da carreira.

Acho que o ME tem razão. Fazíamos greve durante um mês e isto ia ao sítio. Mas a greve de um dia teve os resultados que se viu...

12 comentários:

Anónimo disse...

Falta agora falar das despesas que os profs são obrigados a suportar, nomeadamente gasolina, renda de quarto e todo o material necessário para dar aulas em condições, sem recorrer só ao manual. Depois disto tudo, quanto se pode poupar?O ME ainda não fez as contas?Não lhe interessa, pois!

Prof24 disse...

Nem o ME faz contas nem os próprios professores. Grande parte de nós afirma que os QE ganham muito, quando na verdade ganham aquilo que é jutso: mais habilitações, melhores remunerações.

a-real disse...

Ocorre-me uma dúvida existencial: para quê lutar por uma carreira que nos dará dois contos por cada hora de trabalho? É preciso gostar muito de ser professor.

Prof24 disse...

Esqueci-me de dizer que a mim não me deixam beber cerveja enquanto estou a trabalhar. Nem me pagam uma nos intervalos.

Prof24 disse...

Caro A-real:

Isto não vale a pena. Enformaram-nos a cabeça na faculdade fazendo disto uma missão, quando na verdade é uma profissão. Por mim, passarei a ser um turbo-professor com muto orgulho, pois já não acredito no ensino.

mariaprof disse...

Na função pública só há 2 maneiras de ganhar mais...ou se sobe de letra (eu nem letra tenho porque sou uma reles contratadas...) ou se trablha menos! Eu,este ano, já só trabalho o mínimo e garanto-vos que já comecei...

Prof24 disse...

Para mariaprof:
E faz muito bem. Eu até conto as horas que trabalho em casa - e quando chego às 35, fecho o tasco. Não tenho a menor intenção de me sacrificar por uma carreira que não nos merece. Antes trolha.

cat sousa disse...

35 horas, nem mais uma, é isso mesmo!

Prof24 disse...

Mais outra: deixei de pagar fotocópias do meu bolso. Agora faço ditados. Quem não quer, não come.

Prof24 disse...

Para Cat sousa:

Claro que com apenas 35 horas de trabalho alguma coisa vai ficar por fazer: os testes, por exemplo, jamais serão corrigidos num tempo razoável (mais de uma semana, seguramente). E pode-se dizer adeus aos trabalhos de casa. Mas isso são preocupações para o sr Albino, da CONFAP, resolver.

cat sousa disse...

Eu já estive a olhar para o meu horário e a organizar a minha vida em 35 horas de trabalho. Este é o último fim-de-semana que trabalho para a escola!
Quanto a fotocópias e transparências já não digo mesmo que tu, porque a minha disciplina precisa mesmo delas...
Este ano tenho 8 turmas, 4 níveis e uma AP, mas 35 horas vão ter de chegar!

Paulo Abrantes disse...

Não ligo aos blogs mas aí vai. Podemos então dizer que, eu, recrutado para leccionar inglês no 1ºciclo, a ganhar 10€/h vou ganhar quase tanto como um prof QE em fim de carreira.lol. pena é que só me pagam 12 horas mensais que totalizam €120, os profs são mesmo uns bócós.